terça-feira, 5 de julho de 2011


Agora eu sou um vento só, a escuridão
Eu virei pó, fotografia, sou lembrança do passado
Agora sou a prova viva de que nada nessa vida É pra sempre até que prove o contrário